Onde

Para onde você vai quando está cercado pelo caos? Quando as palavras perdem o sentido e a estupidez, audaciosa, toma conta de tudo, está em toda parte, em todo lugar, em todos. É sufocante existir. Para onde nós vamos quando eles não querem que a gente exista? Como poderíamos fugir de tanto ódio e tanta ignorância? 


Deveríamos tentar nos refugiar mesmo que nós estando tão cansados de nos esconder? E para onde vão as nossas dores? As lágrimas derramadas por tantos dissabores? Elas não importam, eles gostam de nos ver assim, com suor e sangue, correndo para viver, cansados de apenas sobreviver. Nós tentamos. 

E se não precisássemos tentar tanto? Se o som da nossa respiração não ofendesse, se a batida do nosso coração não incomodasse, se o nosso afeto não perturbasse? Se a gente apenas existisse, como eles, em qualquer lugar, de qualquer forma, vidas não hostilizadas. Para onde eu vou? O que eu vou fazer, quando eu me sinto pequeno e vou me diminuindo, tentando desaparecer?

Eu encontro refúgio no amor, mesmo sem conseguir vê-lo, tocá-lo, ele me abriga, me consola, me fortalece, ele está em mim, está no olhar daqueles que como eu sofrem e lutam com o mesmo fim: viver e amar. Nosso lugar é no céu, depois da chuva, dentro do arco-íris.

Leia também: Volta, fica

Comentários