Palavras inúteis

Não há nada que eu possa dizer que faça você ficar. Não sei por que você insiste tanto nisso. Talvez você pense que vai facilitar as coisas, mas não vai. Depois serei eu quem ficará aqui com o peso do que disse, pensando que talvez eu tenha implorado demais pelo amor de quem já estava com um pé do lado de fora. Como se o fardo de não ter falado nada já não fosse o suficiente. Cara, como você sabe ser egocêntrico. Desculpa, mas existem dois de nós aqui.


Pretendo sair disso da mesma maneira que entrei. Da forma mais discreta possível. Foi assim que fui criado. Não como você. Touro em uma loja de porcelana, pronto para causar estrago, não porque você é mau, apenas porque é sua natureza. Você nunca apreendeu sobre consequências e já é tarde para que eu te dê esse tipo de lição. A vida já é difícil como é quando eu lido com minha própria bagunça, não estou disposto a limpar a de mais ninguém.

Eu sempre soube que você era jovem, mas desativei todos os alarmes até quando era tarde demais. Eu sei que também posso ser malcriado e depois me justificar com palavras bem elaboradas, mas existe um limite. Você deveria saber. Não me culpe por suas expectativas não correspondidas, eu sou apenas humano e ninguém deveria se esforçar tanto, principalmente por amor. Ou você sente ou não. Não é uma questão de conhecimento ou repetição. Pelo o que ouvi, essas coisas costumam fluir naturalmente.

No resumo de tudo, é engraçado, mas eu ainda me lembro daquele dia que dançamos com os olhos fechados, isso parece um pouco com aquilo, exceto pela parte que a gente podia sentir um ao outro lá, como se estivéssemos sozinhos naquele salão do piso quadriculado, preto e branco. E você não precisa gritar para me trazer de volta para o agora. Acredite, estou bem aqui e se você me conhecesse saberia que eu acredito que qualquer coisa, a essa altura, não seria nada além de palavras inúteis.


Comentários