Palavras certas

Posso falar de términos como ninguém porque os fins me dão mais segurança que os começos. É por isso que não consigo falar de nós. Perdoa-me. Eu tenho observado você se contorcendo a espera que eu te diga algo e sinto meu peito apertar, mas eu não estou certo sobre o que te dizer. Tudo está aqui. Não falta nada, pelo menos eu acho. Mas eu continuo me perguntando.
Foto de Allef Vinicius em Unsplash

Eu e minha mente inquieta. Nós não vamos descansar até te colocar em dúvida. Às vezes sinto que eu só me dou conta do que sinto quando acaba, embora eu não tenha dúvidas, mas como eu posso provar, mesmo que você não queira evidências, mesmo que você esteja disposto a acreditar somente em minhas palavras?

Minhas palavras. Eu tenho total controle delas quando se referem ao passado. Mas como eu posso definir o que ainda está aqui? O que ainda está por vir? Desculpe-me. Eu tinha medo que isso acontecesse novamente. Que eu perdesse todo o senso de direção e ficasse perambulando, procurando explicações que eu não vou encontrar.

Toda a minha vida eu só encontrei conclusões no fim, como posso te dar algo que não seja concreto se isso é tudo que você merece? Nunca foi minha intenção me esconder por trás dos meus fracassos. Aqui estou eu, diante deles com a certeza de que o que nós temos é diferente, mas eu não tenho as palavras certas para dizer.

Leia também: Começar de novo

Comentários