Quando eu soube que te amo

As luzes da cidade sempre me pareceram um céu estrelado do alto do seu apartamento, as únicas estrelas possíveis nessa metrópole maçante. E isso não é a única coisa que parece celestial daqui. Como quando você me encontra na varanda e me abraça por trás, devagar, porque sabe que eu vou tentar resistir a princípio, e quando eu cedo, você beija minha nuca, o melhor presente por bom comportamento que já ganhei.
Foto de Andrew Tanglao no Unsplash

Eu tenho perdido a noção do tempo aqui. Chegando atrasado ao trabalho, desaparecendo da minha casa e ficando longe das ruas cada vez mais. Eu não queria admitir, mas suas paredes soam como o esconderijo que eu não sabia que precisava. Para me proteger do resto do mundo, para encontrar paz e refletir sobre a vida, quando você ainda está no chuveiro e eu tenho um tempo para mim mesmo, ainda tendo você a alguns passos, murmurando sons indecifráveis.

Meu travesseiro parece um saco de pedras agora que posso dormir tranquilamente em seus braços, como eu nunca tinha gostado, com ninguém. Mas eu gosto de cobrir meu rosto com você, sentir seu cheiro até adormecer e ter sonhos doces que não me lembrarei pela manhã. Quando eu acordar, com suas mãos passeando pelo meu corpo, nossos olhos ainda fechados, fazendo tudo por instinto, porque já conhecemos cada pedaço do caminho. 

Quando a gente acaba esse maravilhoso ritual matinal e você levanta da cama, fico olhando o teto do quarto por alguns momentos. Olhando a cama bagunçada, o quarto inteiro. Começo a rir, além dos lábios, consigo sentir em todo o meu corpo. Estava aqui o tempo todo, e antes de perceber, de fato, com toda a certeza, sem uma sombra de dúvida, nem ao menos suspeitei. Foi assim quando eu soube que te amo, que eu realmente te amo.

Leia também: Esperando por você

Comentários